andré barata

“O jogo da filosofia é sempre um jogo insensato. Supor, porém, que não fosse absolutamente sério seria um ultraje. Se não fosse subversivo, irritante e insuportável, Sócrates teria sido simplesmente ridículo”.

  Para a esquerda ser alternativa, é indispensável vontades políticas alcançarem uma convergência e imprescindível constituírem-se veículo de um programa político.   A recomposição da esquerda portuguesa está na ordem do dia. Uma esquerda antiausteritária que se queira c…

Veja mais...

  A social-democracia,  apanágio de muitos dos países que integram a OCDE, está a falhar desde há pelo menos duas décadas. O seu propósito era conter o crescimento das desigualdades através de políticas redistributivas, mas o que sucedeu foi, desde meados dos anos 80, as desigualdades n…

Veja mais...

  Hoje, quando um jovem termina o seu  percurso escolar, cada vez mais extenso e qualificado, e projeta sair de um contexto de dependência para um contexto de emancipação, o que encontra diante de si e das suas esperanças é um muro cada vez mais alto. A formação e a preparação esbarram…

Veja mais...

Hoje, em muitos lugares do mundo, ser mulher muçulmana é muito difícil. Na Europa, cada vez mais. Cumpria-nos, nós que acreditamos na liberdade, não contribuirmos para esta condição.   A polémica proibição do uso de burquínis nas praias da Riviera tem suscitado em redes sociais e …

Veja mais...

  A repressão de Eros que Freud identificara 85 anos antes como um princípio civilizador é confirmada aqui e levada ao limite de inumanidade que a humanidade pode suportar.     Na tentativa de entender o autoproclamado Estado Islâmico, é habitual chamar-se a atenção para uma certa…

Veja mais...

A violenta reacção ao debate sobre o Cartão de Cidadão merece ser debatida. Ridiculariza-se, desconversa-se, manda-se calar. Mas, desta forma, quem está a ser calada é a própria língua. Parem lá de morder a língua.   Nada nos obriga a dizer “portugueses e portuguesas” sempre …

Veja mais...

  I. O fim do trabalho 1. Apenas uma catástrofe civilizacional inverteria a tendência cada vez mais pronunciada para a escassez, se não mesmo extinção, do trabalho nas economias mais desenvolvidas. Não esperando o pior só pode, pois, ser esperado que rendimentos passem a ser conferidos …

Veja mais...

  A única coisa racional a fazer-se hoje e depressa é começar a refundar a União Europeia, colocando-a em bases mais dignas.   Quando em 1962, o grande filósofo da ciência Thomas Kuhn procurou descrever como realmente aconteciam as revoluções científicas, deu conta de que mesm…

Veja mais...


  Somos um país de múltiplas exclusões e de profundas desigualdades. Quer se trate da distribuição de rendimentos, do acesso às oportunidades, à Justiça, ao próprio espaço público, há sempre um traço distintivo que nos caracteriza: Portugal não é para todos.   Também po…

Veja mais...