andré barata

“O jogo da filosofia é sempre um jogo insensato. Supor, porém, que não fosse absolutamente sério seria um ultraje. Se não fosse subversivo, irritante e insuportável, Sócrates teria sido simplesmente ridículo”.

Estado Social: De todos para todos

ISBN: 978‑989‑671‑210‑5

Editora: Tinta da China

Comprar

Sinopse

Imaginemos o que teria sido Portugal nestes últimos 40 anos sem o desenvolvimento e o aprofundamento dos sistemas e das funções sociais do Estado. Viveríamos ainda hoje num país subdesenvolvido. Não teríamos com toda a certeza atingido os níveis de desenvolvimento humano que nos colocam entre os países com maior bem-estar social.
As progressões extraordinárias verificadas no aumento da esperança média de vida, na diminuição drástica da taxa de mortalidade infantil, no incremento da taxa de escolarização, são exemplos bem representativos do avanço civilizacional que o país conheceu.
A construção do Estado social e a decorrente universalização dos sistemas de proteção atenuaram radicalmente a exposição dos indivíduos a um conjunto de riscos sociais e ambientais. Neste sentido, o Estado social tornou-se um elemento insubstituível na organização da vida em comunidade dos indivíduos. As análises que se apresentam ao longo deste livro revelam um dado muito claro: considerando as comparações internacionais, verificamos que os sistemas, serviços e funções sociais do Estado não podem ser vistos como gorduras ou excedentes que devam ser simplesmente cortados ou alienados.

Autores: André Barata, André Carmo, Frederico Cantante, Hugo Mendes, João Ferrão, Jorge Malheiros, José Luís Albuquerque, Luís Bernardo, Manuela Silva, Nuno Serra, Pedro Abrantes, Renato Miguel do Carmo e Tiago Correia.

« O futuro nas mãos - Primeiras Vontades »